Crises

21/07/2013 - Assembléia de Deus

Crises espirituais podem acometer qualquer crente. Mas os motivos sempre estão ligados ao nosso relacionamento com Jesus.

No episódio narrado em Mateus 14:22-33, quando Jesus andou sobre as águas para alcançar o barco de seus discípulos, podemos observar essas causas.

Na igreja,

O barco é a igreja, onde estavam os crentes, e tiveram medo por não reconhecerem Jesus. Se a igreja, que somos nós, duvidar das maravilhas que ele pode realizar em nosso meio, corremos o risco de não reconhecermos a ação do Senhor dos mares e da igreja. O medo e a insegurança se instala entre os crentes, que desencorajados, deixam de se aplicar às atividades, enfraquecendo a igreja. Mas Jesus disse "Sou eu, não temas!" anunciando que não existem assombrações dentro da igreja. Era o Jesus em pessoa que eles conheciam, e é o mesmo que ainda hoje nos encoraja a avançar sem temer as tempestades.

No crente,

Também lemos que o Apóstolo Pedro começou a afundar. A falta de fé pode fazer afundar os mais notáveis pregadores. Para que Pedro observasse o vento forte e o tamanho das ondas, certamente ele desviou seu olhar de Jesus. Ao perdermos de vista a pessoa de Jesus, enveredamos nas crises que podem afundar um crente, no mar de máguas e aflições ao redor. Ao olharmos fixamente para Jesus e sua obra, veremos que as piores batalhas Ele já venceu, e as ameaças do mundo não prevalecerão.

Finalmente, aprendemos na atitude de Pedro, o caminho para as soluções improváveis. Ele clamou a Jesus. Sua crise era aparentemente sem solução, como muitas das nossas. Mas Jesus estendendo a Mão, resolveu o problema de Pedro, e também do barco, do mar e de qualquer pessoa que recorra a seu poder e autoridade.

O avançar de igreja e a estabilidade de cada crente, estão em Jesus.

Voltar