Suco de Frutas

Depois de andar pelo pasto, a pleno sol maranhense em seus trinta e poucos graus, me sento no banquinho de tronco à sombra da casa.

Adivinhona, Valéria vem vindo lá de dentro, trazendo na mão uma caneca de alumínio, esbranquiçada pelo gelo, contendo o suco de alguma coisa, que nunca foi menos que maravilhosa.

Não sei dizer qual fruta prefiro. Cajá, mangaba, jambo, jaca, cajú, cupuaçú, bacurí, manga, não sei. Todos me arrebatam os sentidos na sua degustação e me fazem lembrar o privilégio de termos tantas frutas, variadas, acessíveis e abundantes. Quais reis e príncipes as têm? Quanto custam aos milionários de longe? São nossas. São minhas.

O toque na caneca declara a temperatura e hipnotizado a aproximo da boca , mas antes, me submeto à tentativa de descobrir o sabor, pelo aroma e cor. Sempre acerto a fruta, o que valoriza ainda mais o me deliciar no paladar. E só então me permito deixar o suco inundar minha boca, e saborear todas as qualidades e características da fruta mágica que me deu seu suco encantado.

A melhor fruta é mesmo difícil definir. Mas o melhor suco, está sempre na minha caneca.