O homem da torneira

Com o tempo, profissões tendem a deixar de existir, como relojoeiro, datilógrafo, engraxate, e dão lugar a outros novos ofícios como astronauta, programador, personal trainer e outras tantas que atendem às demandas da modernidade.

Um poço artesiano era a novidade urbanista do local, que pouco acostumados, os aldeões deixavam correr água sem qualquer controle, o que fez surgir a nova profissão: O homem da Torneira.

O senhor da água, que se encarrega de liberar a água pela manhã e fechar a torneira do poço ao anoitecer, ou a qualquer outra hora que se faça necessário, segundo seu critério ético-profissional. E suas mãos soberanas ditam os horários de tomar banho, lavar roupas, e outras coisas que se fazem com água.

Ocasionalmente pode ocorrer qualquer descuido, tipo, viagens, festas, pórres e até esquecimentos, e todo o povoado fica sem água por horas, dias... Mas, em compensação, também pode acontecer, pelos mesmos motivos, água a vontade durante toda a noite.

Certamente, quando a tecnologia dos hidrômetros chegar aqui, esta será mais uma profissão extinta. Ainda bem.