Dia do Pastor

Chagamos em Tasso Fragoso, às 11 horas e fomos direto para o hotel. Mesmo sendo muito cedo, tínhamos muito o que fazer. Valéria tinha que passar as roupas e eu tinha que dar os últimos retoques no sermão. Enquanto esperávamos a camareira arrumar nosso quarto, entrou pela recepção um dos irmãos da igreja, para nos convidar para o almoço especial que aconteceria na igreja. deixamos as coisas no hotel e fomos para o almoço.

Comida típica de interior, cheirosa e em quantidade, e gente animada e alegre. Um ambiente descontraído e barulhento, em que todos faziam seus pratos e se espalhavam pelo terreiro entre as galinhas e os cachorros. Pequenos grupos se formavam, e sorriam, falavam gesticulando, derramava o refrigerante e todas essas coisas de igreja almoçando junta.

Voltamos ao hotel para concluir nossas coisas e meia hora antes do culto, estávamos de volta. O Pastor me aguardava em seu gabinete, e escrevia alguma coisa num caderninho, enquanto aguardava o pessoal que trabalharia no culto, para orarem juntos, como de costume. E foram chegando as pessoas, de todas as idades, uma a uma se posicionava ao redor do bureau, até quase não caber mais ninguém na salinha.

Oramos juntos e nos retiramos ao santuário, que já estava cheio e uma música de CD tocava no som.

O trabalho começou com alguns minutos de atraso, e o dirigente logo me convidou para me assentar nos lugares do altar. As apresentações aconteciam, como creio eu, em todas as igrejas. Simples, verdadeiras e emocionantes.

Em certo momento o dirigente me convidou ao púlpito, para a pregação da mensagem. Fiz nossa própria apresentação, preguei sobre os valores dos verdadeiros pastores (leia aqui). Depois da mensagem e oração, ainda assistimos a bela apresentação de um jogral com as crianças, e encerrou-se o culto com o pastor Paulo abrindo presentes.

Fomos todos para uma Lanchonete, e as conversas se estenderam até meia noite, quando voltamos ao hotel. No da seguinte voltamos para a fazenda com uma sensação prazerosa e diferente, que nos fazia quase suspirar: Que igreja deliciosa!

Voltar